Missão da Gavi avalia as necessidades de Angola no reforço da vacinação de Rotina e da Vigilância Epidemiológica

NOTA DE IMPRENSA

Luanda, 4 de Julho de 2017 -  Uma delegação constituída por peritos da Aliança Mundial de Vacinas e da Imunização (Gavi), do Escritório inter-país da OMS para a África Central e Ocidental e pelo Escritorio regional da UNICEF (ESARO)  está em Luanda para uma missão de cinco dias a Angola, com o propósito de avaliar os progressos registados pelo país na implementação das actividades conjuntas de vacinação de rotina e reforço das actividades de vigilância epidemiológica. Esta revisão conjunta decorrerá entre os dias 3 e 7 de Julho e integra igualmente peritos do Ministério da Saúde, USAID e outros parceiros da vacinação (vigilância epidemiológica, comunicação e mobilização social, logística e finanças).

Recorde-se que em Maio deste ano, as autoridades angolanas lançaram um plano de recuperação da cobertura de vacinação de rotina com o objectivo de imunizar  até 95 por cento de crianças e também 95 por cento das mulheres em idade fértil (entre os 12 e os 49 anos de idade), numa estratégia que envolve o uso de equipas móveis e fixas distribuídas por unidades de saúde, mercados, igrejas, escolas e outros locais de forte concentração popular. 

Durante esta missão, o grupo de peritos vai avaliar um conjunto de questões essenciais, nomeadamente: os progressos, desafios e a sustentabilidade dos programas de vacinação em Angola, incluindo acções específicas como a eliminação do sarampo e da Rubéola, a erradicação da Pólio, os preparativos para a introdução da vacina pólio injectável, a comunicação e a mobilização social, assim como as necessidades em termos de capacitação de recursos humanos. No final, Angola deverá produzir um relatório sobre esta avaliação, até finais de Julho, contendo os detalhes da asistência técnica complementar que poderá ser prestada pela Gavi depois de 2017. 

Ao falar segunda-feira na abertura discussões com a parte angolana e os parceiros do governo, o Dr. Thierry Vincent, gestor senior dos projectos da Gavi em Angola, realçou que esta missão tem lugar num contexto caracterizado por vários acontecimentos políticos, como as próximas eleições presidenciais e legislativas previstas para Agosto de 2017, que constituem um verdadeiro desafio para o aumento da cobertura vacinal e das actividades de pesquisa.

Por sua vez, o director nacional de saúde Pública, Dr. Miguel de Oliveira, disse que apesar da sua qualificação como país de transição retirado da lista de beneficiários dos fundos da Gavi, a partir de 2018, Angola acumulou uma vasta experiência ao longo dos últimos 14 anos de cooperação com a Gavi. «Esta experiência vai permitir que o país aumente a sua cobertura vacinal e o nosso desafio é preencher as lacunas deixadas pela Gavi», disse ele, ao comentar o fim do apoio da aliança em 2017.

Esta missão de revisão do Programa de Vacinação ocorre  dois meses depois de Angola ter recebido uma delegação chefiada pelo Director Executivo, Dr. Seth Berkley, que manteve na altura contactos de alto nível com o Vice-Presidente de Angola, responsáveis do governo e parceiros nacionais e internacionais, com o objectivo de apoiar os esforços para o  combate às doenças imuno-preveníveis no país. A assistência financeira da Gavi para a vacinação em Angola, nestes últimos 14 anos, está avaliada em 105 milhões de dólares, em apoio ao orçamento do estado para a saúde.

____________________________________________

Para contactos adicionais com a imprensa, favor contactar: 

José Caetano, Oficial de Comunicação da OMS, e-mail :   soarescaetanoj [at] who.int 

Salomon Omer N'GANGA, Oficial de Comunicação, ICT/AFRO, e-mail :   ngangas [at] who.int 

 

 

01 - Alguns dos peritos nacionais e internacionais envolvidos na avaliação da vacinação em Angola

02 - Início da avaliação das actividades conjuntas de vacinação em Angola

Click image to enlarge